Críticas, sugestões de pauta e parceria comercial: 
Whatsapp: 92 3667-4126 / 99248-8080​
Ou via e-mail: mail@blogdaamazonia.com
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Flickr
  • Preto Ícone SoundCloud
Copyright © 2017-2020. AMAZÔNIA COMUNICAÇÃO E EVENTOS LTDA. - Todos os direitos reservados.
CNPJ (MF) 28.140.273/0001-50
  • Redacão

Representantes do Comitê Estadual de Resposta Rápida para Coronavírus seguem para Tabatinga


Representantes do Comitê Interinstitucional de Gestão de Emergência em Saúde Pública para Resposta Rápida aos Vírus Respiratórios, com ênfase no Novo Coronavírus (2019-nCoV), desembarcam neste domingo (02/02) em Tabatinga, distante 1.110 quilômetros da capital amazonense. A ida do grupo faz parte do planejamento estratégico de alinhamento de ações de prevenção e controle de forma integrada entre a vigilância e assistência à saúde.


O grupo é composto por técnico da vigilância sanitária, epidemiologia e laboratorial da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) e dois infectologistas da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado. A equipe permanece no município até terça-feira (04/02).


A diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, informa que todas as secretarias municipais em saúde receberam notas técnicas orientativas para o enfrentamento do Novo Coronavírus, mas a vigilância em Tabatinga, por ser fronteira, deve ser reforçada.


“O Alto Solimões é uma região de intenso fluxo de pessoas na fronteira, e isso precisa ser monitorado com estratégias mais específicas. A programação inclui atualizações com a equipe local do hospital e laboratório. O grupo técnico também participa nesta segunda-feira (03/02) com representantes da área da saúde de Peru, Colômbia e Venezuela”, revelou.


Rosemary destaca que o Coronavírus é uma preocupação mundial, e devido a isso há também uma enorme colaboração entre os países. “Como nós, os representantes dos países fronteiriços também estão atentos a esse novo cenário epidemiológico. Hoje, a nossa melhor ação é a vigilância ativa para casos suspeitos. Quanto mais rápida a identificação, menor o impacto para os países”, avaliou.


Nacional – Até o momento, o Brasil tem 12 casos suspeitos sendo investigados, conforme o Ministério da Saúde (MS). No Amazonas, não há notificação de casos suspeitos.


Formação do comitê – Instituído pela Secretaria de Estado da Saúde (Susam) e pela FVS, por determinação do governador Wilson Lima, o Comitê Estadual conta ainda com representantes da FMT-HVD, Secretaria Municipal de Manaus (Semsa-Manaus), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Superintendência Regional do Ministério da Saúde, Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas (Cosems-AM), Defesa Civil, Corpo de Bombeiros Militar, SAMU e HPS Delphina Aziz.


A implantação do Comitê tem como objetivo a execução coordenada de ações de prevenção e controle de epidemias por síndromes gripais nas redes de saúde pública e privada de atenção básica e especializada da capital e do interior, visando a agilidade na execução das ações de notificação, registro, investigação, manejo e adoção de medidas preventivas, previstos no Plano estadual de vigilância de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e Síndrome Gripal (SG).


Adicionalmente, o Comitê atuará na preparação de respostas rápidas a uma possível ocorrência de casos de Novo Coronavírus, aplicando orientações do MS definidas por protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS).


Medidas de prevenção – A FVS-AM informa que a rede de saúde se encontra abastecida com o antiviral indicado para o tratamento da influenza. O Ministério da Saúde recomenda que ele seja ministrado até 48h após o início dos sintomas.


A FVS-AM também alerta à população para o aumento esperado de casos de síndromes respiratórias nos primeiros meses do ano, e reforça as medidas de prevenção e controle, como por exemplo, a lavagem frequente das mãos com água e sabão, o uso de álcool gel a 70%, evitar contato com pessoas gripadas e lugares aglomerados, etiqueta da tosse (evitando-se tossir diretamente nas mãos, e sim na curva interna do braço), uso de lenços descartáveis, uso de máscaras, repouso adequado, boa hidratação, alimentação equilibrada, entre outras.

15 visualizações