Críticas, sugestões de pauta e parceria comercial: 
Whatsapp: 92 99248-8080​
Ou via e-mail: mail@blogdaamazonia.com
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Flickr
  • Preto Ícone SoundCloud
Copyright © 2017-2019. AMAZÔNIA COMUNICAÇÃO E EVENTOS LTDA. - Todos os direitos reservados.
CNPJ (MF) 28.140.273/0001-50

Você no Blog da Amazônia!

Aconteceu alguma coisa na sua comunidade? Chama a gente. Envie fotos, vídeos, sua denúncia, crítica ou sugestão.

Nosso Whatsapp: 92 99248-8080 Adiciona a gente aí!

Arthur Neto recebe representantes do Governo Federal para falar de acolhimento a novos venezuelanos

23/03/2018

 

Depois de defender uma maior participação federal nas ações humanitárias de acolhimentos aos refugiados venezuelanos, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, recebeu nesta quinta-feira, 22/3, uma comitiva de técnicos do Ministério de Desenvolvimento Social (MDS) e do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) para tratar sobre a chegada de novos venezuelanos na capital, a partir do próximo mês de abril.

 

Durante a reunião, realizada no Centro Cultural Palácio Rio Branco, no centro da capital, o prefeito voltou a afirmar que Manaus continua aberta para acolher àqueles que buscam refúgio da crise econômica e social que abala a Venezuela.

 

“Manaus continua aberta para prestar ajuda a essas pessoas, mas, repito, é preciso um comprometimento muito sério e contínuo do Governo Federal, porque nossa vontade de ajudar é muito grande, mas o meu compromisso primeiro é com o povo de Manaus”, destacou o prefeito. “Nossos recursos são limitados e não seria sensato propor ajuda à outra nação em detrimento ao povo manauara”, concluiu.

 

Para Niusarete Margarida de Lima, coordenadora do Departamento de Proteção Social Especial do MDS, que integra o comitê federal para interiorização dos refugiados venezuelanos, Manaus se tornou referência pelo trabalho de acolhimento aos imigrantes indígenas venezuelanos e agora é, novamente, uma das cidades na linha de frente para prestar ajuda aos venezuelanos não indígenas.

 

“Destacamos o protagonismo de Manaus na gestão de receber e organizar o fluxo imigratório, integrando a assistência social com as demais políticas públicas, principalmente, nas áreas de educação e saúde. Agora, com o agravento da situação na Venezuela, sobrecarregou a rede de atendimento em Roraima (RR) e, por isso, a necessidade de mapear outras unidades da federação que possam se unir nessa ajuda humanitária. E Manaus, sem dúvida, é uma das cidades na linha de frente”, afirmou a representante federal.

 

“O Acnur já reconheceu todo o esforço do prefeito Arthur Neto para acolher os venezuelanos, que mais uma vez se mostra disposto a ajudar, mesmo com as limitações que o município possui e com a necessidade, claríssima, que se tem de um maior apoio do Governo Federal”, complementou Isabel Marquez, representante do Acnur no Brasil.

 

Desde junho do ano passado, Manaus iniciou o acolhimento de refugiados venezuelanos. Os primeiros a chegar foram os indígenas da etnia Warao. Atualmente, o Município acolhe a 140 indígenas Warao em três casas de acolhimentos mantidas pela Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), que trabalha no “Plano de Ação Humanitária ao Fluxo de Imigrantes Venezuelanos” para ordenar o acolhimento de novos refugiados e embasar o repasse de verbas federais para auxiliar no atendimento aos imigrantes.

 

“O prefeito foi muito enfático nesse diálogo com a representante do Governo federal em dizer que Manaus não está fechada para prestar apoio aos venezuelanos, mas temos que nos acautelar com quem aqui mora. O que pedimos é agilidade e continuidade do Governo Federal na liberação de recursos para que se possa prestar essa ajuda aos refugiados”, explicou o secretário da Semmasdh, Elias Emanuel, que leva em conta o atraso nos repasses federais para manutenção das ações de acolhimentos dos indígenas Warao.

 

Também participaram da reunião, a primeira-dama e presidente do Fundo Manaus Solidária, Elisabeth Valeiko Ribeiro; a subsecretária Operacional da Semmasdh, Jane Moraes; e o membro do Acnur, Sebastian Roa.

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Curtir
Please reload

DESTAQUES

Deflagrada em Eirunepé, operação “Interior Integrado 2” resulta nas prisões de seis pessoas

16/11/2019

1/10
Please reload

POSTS RECENTES