Você no Blog da Amazônia!

Aconteceu alguma coisa na sua comunidade? Chama a gente. Envie fotos, vídeos, sua denúncia, crítica ou sugestão.

Nosso Whatsapp: 92 99248-8080 Adiciona a gente aí!

Datena se alia so PSDB e anuncia pré-candidatura ao senado.

29/06/2018

Mau sinal para aqueles que imaginavam que o lançamento do jornalista José Luiz Datena (DEM) como pré-candidato ao Senado na chapa de João Doria(PSDB) seria um estímulo para o crescimento de Geraldo Alckmin (PSDB) entre os eleitores preocupados com a questão da segurança pública. Consagrado pela apresentação de programas policiais, como o Brasil Urgente, da Band, Datena afirmou que o sistema de segurança de São Paulo, administrado por Alckmin nos últimos oito anos, faliu.

 

“O PCC [a facção Primeiro Comando da Capital], em São Paulo, é a facção criminosa que mais cresce no mundo. Se ela é a organização criminosa que mais cresce no mundo, isso significa que o sistema de segurança de São Paulo, do Brasil, está falido”, afirmou o pré-candidato. A bandeira da segurança é a que move a postulação de outro presidenciável, o deputado Jair Bolsonaro (PSL), que liderou os últimos levantamentos no estado. Questionado por VEJA se há algum constrangimento na fala de seu colega de chapa, João Doria negou.

 

“Não cria constrangimento. Nós temos que reconhecer a natureza do Datena, foi esse seu impulso na carreira como repórter policial. Temos que compreender. E, obviamente, melhorar. Utilizar a experiência do Datena e de outros especialistas em segurança para melhorar. Embora eu precise reforçar que São Paulo tem os menores índices de homicídio do Brasil”, afirmou o ex-prefeito e pré-candidato do PSDB.

 

Segundo Doria, a posição da sua chapa na área “é uma posição de muita firmeza, uma posição mais dura e firme”. “Nenhuma condescendência com a bandidagem, com grupos organizados no âmbito dos bandidos, inclusive as facções. E deixando bastante claro aquilo que eu tenho dito nas últimas semanas: ‘bandido bom é bandido preso'”.

 

‘A contragosto para caramba’

 

Datena não respondeu a perguntas dos jornalistas presentes. Ele disse que estava no evento “a contragosto para caramba”, em luto pelo falecimento do empresário Toninho Buonerba, que considerava seu “segundo pai” e morreu nesta quinta. “Não estou em condições psicológica e sentimental de responder nada”, afirmou o jornalista. Quando Doria ensejou o início da coletiva, ele se antecipou para interromper dizendo que não responderia as seis perguntas citadas e o ex-prefeito respondeu “não são para você”. Pouco tempo depois, antes dos questionamentos da imprensa, ele deixou a sala.

O discurso de lançamento, ressalvado o visível estado emocional do pré-candidato, mostrou que Datena dificilmente será “domado” pelos partidos políticos. Ele não poupou as lideranças presentes de nenhum constrangimento. Em um momento do discurso, disse que fazia acordo com políticos “que eu meti o pau”, porque faz parte de um acerto “aceitar a parte ruim que vem do outro lado”. “Tem cara que está participando dessa coligação que me odeia. Aliás, que se explodam. Mas se aceitaram, vão ter que aceitar mesmo”, prosseguiu.

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Curtir
Please reload

DESTAQUES

Polícia Militar, por meio da Rocam, detém dois suspeitos por porte ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas, na zona oeste

12/01/2020

1/10
Please reload

POSTS RECENTES