Críticas, sugestões de pauta e parceria comercial: 
Whatsapp: 92 3667-4126 / 99248-8080​
Ou via e-mail: mail@blogdaamazonia.com
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Flickr
  • Preto Ícone SoundCloud
Copyright © 2017-2020. AMAZÔNIA COMUNICAÇÃO E EVENTOS LTDA. - Todos os direitos reservados.
CNPJ (MF) 28.140.273/0001-50

Você no Blog da Amazônia!

Aconteceu alguma coisa na sua comunidade? Chama a gente. Envie fotos, vídeos, sua denúncia, crítica ou sugestão.

Nosso Whatsapp: 92 99248-8080 Adiciona a gente aí!

Venezuelanos reclamam da comida em abrigo e querem aluguel social.

15/04/2019

 

Manaus/AM - A crise política e econômica na Venezuela acabou gerando uma dor de cabeça para os Estados do Amazonas e Roraima. Na capital amazonense a prefeitura tem se empenhando ao máximo para ajudar famílias que estão vivendo embaixo do viaduto do complexo viário da Avenida Constantino Nery, em Frente a Rodoviária, mas parece que todo o esforço das autoridades é em vão. Venezuelanos que foram retirados da situação de rua no último dia 29 de março pela prefeitura, voltaram a viver no entorno do local, reclamando da comida, mesmo sendo servida uma alimentação de qualidade e de que não querem ficar nos abrigos.

 

A prefeitura alocou mais de 100 venezuelanos que foram Distribuídos em dois abrigos, os indígenas da etnia Warao em um localizado no bairro Alfredo Nascimento (Zona Norte) e os não indignas em Outro abrigo localizado no bairro Coroado (Zona Leste), mas eles insistem em voltar para as ruas na tentativa de forçar a prefeitura a pagar a eles o "Aluguel social", um programa criado para ajudar pessoas que geralmente perdem o lar em tragédias como ocorrida ano passado no incêndio no bairro Educandos.

 

A prefeitura tem feito a sua parte no sentido de ajudar. Outras entidades filantrópicas, como igrejas e grupos de assistência social tem ajudado também com campanhas e ações sociais que levam roupas, comidas, kits de higiene pessoal e até serviços de cidadania, mas infelizmente tudo isso parece não ser necessário para os venezuelanos.

 

Na verdade o que tem sido observado, é que os venezuelanos que estão no entorno do complexo viário de flores e também no final na Avenida das Torres, acham mais cômodo está por ali pelo fato de ganharem dinheiro pedindo.

 

Alguns seguram placas dizendo: "Preciso de trabalho ou uma ajuda" e fazem isso geralmente com crianças no colo. A questão de não quererem ficar nos abrigos, é porque é exijida uma contra partida dos mesmos no sentido de que participem de oficinas de artesanato ou qualificação para serem integrados a sociedade.

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Curtir
Please reload

DESTAQUES

Polícia Militar, por meio da Rocam, detém dois suspeitos por porte ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas, na zona oeste

12/01/2020

1/10
Please reload

POSTS RECENTES