Críticas, sugestões de pauta e parceria comercial: 
Whatsapp: 92 99248-8080​
Ou via e-mail: mail@blogdaamazonia.com
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Flickr
  • Preto Ícone SoundCloud
Copyright © 2017-2019. AMAZÔNIA COMUNICAÇÃO E EVENTOS LTDA. - Todos os direitos reservados.
CNPJ (MF) 28.140.273/0001-50

Você no Blog da Amazônia!

Aconteceu alguma coisa na sua comunidade? Chama a gente. Envie fotos, vídeos, sua denúncia, crítica ou sugestão.

Nosso Whatsapp: 92 99248-8080 Adiciona a gente aí!

Mulheres do sistema prisional recebem método de autocoleta de exame do HPV

19/11/2019

 

 

Na segunda-feira (18/11), a médica mastologista Hilka Espírito Santo apresentou os resultados parciais da pesquisa de doutorado que vem realizando com mulheres privadas de liberdade do sistema prisional de Manaus. O trabalho é realizado em parceria com Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJ-AM), Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

 

Em junho, quando começou o acompanhamento, 268 apenadas receberam o material de autocoleta e teste de DNA para o Papilomavírus Humano (HPV). Em 55 mulheres foi detectado o vírus do HPV e em 21 os dados foram inconclusivos.

 

Segundo a pesquisadora, os dois grupos serão acompanhados e submetidos a exames. “Essas mulheres vão agora fazer exames de colposcopia, citologia de meio líquido e biopsia e avaliação de proteína que avalia o grau da possibilidade de proliferação desse tumor. A partir daí serão tratados o tumor e outras doenças sexualmente transmissíveis que elas possam ter”, informou a médica.

 

Parcerias – A pesquisa tem parceira ainda com a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), as universidades Estadual Paulista (Unesp) e Federal do Amazonas (Ufam).

 

Para a coordenadora de saúde do sistema prisional do Amazonas, Alyne Taumaturgo Botelho, com o resultado dessa pesquisa é possível verificar que o exame de autocoleta é viável sem precisar que as apenadas sejam transportadas para fora da unidade.

 

“De imediato essas mulheres serão tratadas e a melhor forma é a prevenção. Para isso, a ideia é sensibilizar os órgãos de saúde para que se diminua o tempo de rastreio do vírus e para que essas mulheres privadas de liberdade entrem nas campanhas de prevenção por meio do sistema de autocoleta”, concluiu Alyne Botelho.

 

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Curtir
Please reload

DESTAQUES

Reeducandos do Amazonas fazem a prova do Enem

12/12/2019

1/10
Please reload

POSTS RECENTES